Acabamento

Aqui você encontra respostas rápidas para a maioria das dúvidas e problemas comuns que possam vir a existir. Se o FAQ não lhe ajudar, entre em contato conosco.

Sim. Calcula-se uma variação de até 10% para mais ou mais para menos na entrega final de produtos gráficos. Essa variação é mais frequente em trabalhos com grandes tiragens. Na Maxgraphi, sempre imprimimos quantidades maiores do que as encomendadas. Assim, caso ocorram variações em quantidade, nossos clientes não devem sair prejudicados.

Os arquivos devem possuir uma margem para segurança de pelo menos 3mm entre os elementos (imagens, textos etc.) e as bordas de corte. Além da margem, os arquivos também deve ter uma sangria de 3mm.

Nosso valor da sangria é igual ao valor da margem de segurança. Ou seja: 3mm de sangria e uma margem de segurança também de 3mm.

No caso de elementos em um material estarem em contato com os limites da página, é preciso utilizar o que denominamos “sangria”. Basicamente, é o processo de expandir a imagem para além da margem do documento, ultrapassando em 3mm a borda da página. Ou seja, trata-se de “sangrar” a imagem para além dos seus limites. Também é necessário inserir uma margem interna de segurança, igualmente de 3mm, para evitar que se percam partes de informações importantes, como imagens e textos, na hora do corte.

Estes procedimentos são muito importantes. Assim como as “marcas de corte”.

As marcas de corte garantem que nenhum elemento da imagem seja cortado indevidamente. Junto com a sangria, as marcas de corte exercem uma função essencial na etapa do acabamento gráfico.

Quando tratamos de impressão offset, o papel é sempre o principal suporte utilizado. Ele pode estar em variados formatos, assim como em diversas gramaturas e texturas. Existe uma enorme diversidade de papéis. Entretanto, a série A do padrão ISO 216 é a mais comum no que diz respeito a formatos de folhas de papel e baseia-se na razão √2. Na Maxgraphi, nos guiamos por este padrão na elaboração de nossos materiais.

Neste padrão, observa-se: a razão entre a altura e a largura do papel são iguais à raiz quadrada de dois. Tendo isso em mente, ao unirmos duas folhas A4 obtemos uma folha A3 – com exatamente o dobro da área. Dessa forma, é possível imprimir uma folha A3 em uma folha A4 sem perdermos a proporção entre os elementos visuais.

Com a mesma base de cálculo, podemos raciocinar da seguinte maneira: se partirmos de uma folha A0, podemos dividi-la em duas folhas A1 – que possuem exatamente a metade da área de uma A0 – e assim seguimos até a folha A10, em divisões subsequentes. É importante lembrar que a escala segue em ordem decrescente, ou seja: quanto menor o número ao lado do A, maior será o papel. Dessa forma, o maior papel é o A0. E o menor é o A10. Existem também os formatos chamados 2A0 e 4A0, que são especiais e raramente utilizados.